Categorias
Introdução à Programação Web para Bioinformática: HTML, CSS, PHP & JavaScript

Introdução ao PHP

Capítulo 7

Este conteúdo faz parte do livro “Introdução à programação Web para a Bioinformática: HTML, CSS, PHP & JavaScript“. Você pode adquirir a versão impressa desse livro aqui ou a versão para Kindle aqui. Para nos citar, consulte este link.

PHP (PHP: Hypertext Preprocessor) é uma linguagem de programação de alto nível, gratuita, de código-fonte livre, bastante utilizada em aplicações web, de tipagem fraca e dinâmica, estruturada e com suporte a orientação a objetos. PHP foi inicialmente derivada da linguagem Perl, tendo sofrido influência de outras linguagens, como C, C++ e Java. PHP é uma linguagem com baixa curva de aprendizado, que a tornou bastante popular para desenvolvedores web.

Página oficial: http://php.net 
Criador: Rasmus Lerdorf 
Surgiu em: 1995
Página oficial: http://php.net
Criador: Rasmus Lerdorf
Surgiu em: 1995
PHP

História

A história do PHP inicia-se em 1995 quando Rasmus Lerdorf criou um script em Perl para analisar quantos visitantes seu currículo online estava recebendo. Pode parecer uma coisa banal, mas na época não havia nada similar disponível. Após receber diversos pedidos via e-mail, Lerdorf disponibilizou um conjunto de ferramentas para construir aplicações similares, que ele chamou de PHP (“Personal Home Page” ou em português “Página Pessoal”).

O sucesso do PHP foi tão grande que Lerdorf decidiu prosseguir com o projeto. A versão 2.0 surgiu em 1997, após Lerdorf reimplementar a ferramenta usando a linguagem C. A partir de então um grupo de desenvolvedores se uniu ao projeto, o que permitiu que a ferramenta de conversão do código PHP em HTML fosse aperfeiçoada, e assim, veio a versão 3.0.  Desse grupo de desenvolvedores, dois se destacaram: Zeev Suraski e Andi Gutmans.

Suraski e Gutmans, que mais tarde seriam os responsáveis por criar o framework Zend, construíram uma ferramenta que alterava a maneira que o PHP funcionava, adicionando funções como suporte a orientação à objetos, expressões regulares, criptografia e melhoria na escalabilidade. Mais tarde essas funções passaram a fazer parte do PHP 4.0. Entretanto, apenas no PHP 5 essas funções foram realmente aprimoradas, tornando PHP uma das mais poderosas linguagens de programação para Web.

PHP 7

Por durante anos a versão 6 do PHP foi sendo desenvolvida, entretanto diversos problemas foram detectados do core do PHP e poucas funcionalidades relevantes foram adicionadas. Por essa razão a comunidade de desenvolvedores optou por pular da versão 5.6 para a versão 7, abandonando a versão 6. PHP 7 trouxe novos recursos, da qual se destaca uma melhoria estrondosa de performance. Em alguns testes, a versão 7 chegou a ser até nove vezes mais rápida que as anteriores.

Introdução ao PHP

Como PHP funciona?

PHP é uma linguagem interpretada server-side. Programas em PHP são escritos através de scripts (arquivos de texto com instruções na linguagem). Na prática, um script PHP é armazenado em um servidor Web. Ele pode ser chamado pelo usuário (cliente) por meio de um navegador, que recebe um endereço para o acessar o servidor Web. Esse chama o interpretador PHP, que lê e interpreta o script, e retorna uma página HTML para o navegador do cliente.

Instalando PHP

Como instalar PHP?

Nos sistemas operacionais Linux e MacOS, em geral, PHP vem instalado por padrão. Para saber qual a versão instalada, abra o terminal e execute o comando “php -version”.

Você também pode fazer o download do PHP no site oficial: <http://php.net/downloads.php>.

Entretanto, Recomendamos a instalação da ferramenta XAMPP <https://www.apachefriends.org/pt_br/download.html>. XAMPP possui o servidor Apache, que permite a fácil configuração do servidor para ambientes de testes. A ferramenta possui suporte aos sistemas operacionais Windows, Linux e MacOS. 

MacOS

Baixe a ferramenta XAMPP, e arraste o software para o diretório “Aplicativos”. Execute a ferramenta e clique no botão “Start”. As páginas deverão ser armazenadas no diretório “htdocs”. Para acessá-las, vá ao navegador e digite “localhost”.

Instalando XAMPP no Windows 10

A seguir demonstraremos passo-a-passo como instalar o XAMPP com PHP e outras ferramentas no Windows 10.

Primeiramente, acesse o site do XAMPP: https://www.apachefriends.org. Caso o endereço tenha mudado, pesquise por “XAMPP no Windows 10” no Google.

Clique em “Baixar” e faça o download da versão mais recente do PHP (no caso vamos pegar a 7.1.4).

Aguarde até o download ser concluído.

Siga os passos de instalação. Pressione NEXT > para prosseguir.

Durante a instalação, o Apache requisitará permissão para desbloquear recursos do Firewall. Cuidado ao permitir acesso de programas ao Firewall. Nesse caso, permita!

A instalação estará concluída.

Agora abra o XAMPP Control Panel e inicie o módulo Apache (clique em Start). O módulo ficará verde se tudo estiver OK.

Agora vamos verificar se seu servidor Web está funcionando corretamente. Abra a pasta denominada “Computador” (“Meu computador” ou “Este computador”) e clique na unidade “C:” (no meu caso chama-se “Acer (C:)”, pois essa é a fabricante do dispositivo; pode ser que tenha outro nome em sua máquina, mas o C: provavelmente será mantido).

Agora entre no diretório “XAMPP”.

O diretório “htdocs” é o diretório raiz de sua aplicação Web. Tudo contido dentro dele será exibido no browser. Para facilitar o acesso a ele, clique sobre o botão direito e vá em “copiar”.

Vá agora até a área de trabalho, clique com o botão direito e vá em “Colar atalho”.

Clique sobre o novo atalho para o diretório “htdocs”.

Apague todo o conteúdo desta pasta. Agora abra um editor de textos, digite a mensagem “Olá mundo!” e salve dentro desta pasta com o nome “index.html”.

O servidor Web compreende que um arquivo chamado “index.html” corresponde ao arquivo índice de um diretório. Agora abra seu navegador (neste caso, estamos usando o Google Chrome) e digite “localhost”.

Parabéns! O seu servidor Web funciona corretamente!

Sempre que for criar novos Websites, adicione-os a pasta htdocs. Para exibi-los digite no navegador “localhost/nome_da_pasta”. Lembre-se que o navegador reconhece os arquivos iniciados como “index.*” (index.html, index.php, index.asp, etc.) como índice referência. Se eles não existirem, todo conteúdo da pasta será exibido.

Instalando Apache no Ubuntu

No Ubuntu você pode instalar o Apache usando o comando:

sudo apt-get install apache2

Instale o PHP 7 e algumas bibliotecas complementares com o comando:

sudo apt-get install libapache2-mod-php7.0 php7.0-mysql php7.0-curl php7.0-json php-memcached php7.0-dev php7.0-mcrypt php7.0-sqlite3 php7.0-mbstring

Armazene os arquivos em “/var/www/html”. Para acessá-los, digite “localhost” no navegador.

Servidor PHP

As versões mais recentes do PHP possuem um servidor Web embutido. Para executá-lo, abra o terminal, navegue até o diretório do seu Website e digite:

php -S localhost:8000

Agora vá até o navegador e acesse o endereço: “http://localhost:8000”. Sua página inicial será carregada no navegador. Se não houver nenhum arquivo no diretório, você verá uma mensagem similar a esta:

Hello World, PHP!

Agora, vamos criar nosso primeiro script na linguagem PHP. Usando um editor de códigos crie um novo arquivo em branco. Caso tenha optado pelo Sublime Text, no menu View, vá até a opção Syntax e altere para PHP. Digite:

<?php echo "Hello world!";

c7_s1.php | https://goo.gl/q0IqDN

Salve o arquivo com o título “index.php” no diretório raiz do seu servidor Web (se não sabe qual é, consulte a seção de instalação). O nome index (índice), indica ao servidor Web que aquela deve ser a primeira página a ser carregada pelo navegador ao acessar aquele diretório. A terminação de um arquivo de script em PHP deve ser “.php”.

Dica

Quando nomear arquivos, evite inserir espaços ou caracteres especiais no título. É recomendável substituir espaços pelo caractere underline “_”.

Agora, abra o navegador e digite o endereço “http://localhost”. Será exibida em sua tela a seguinte mensagem:

PARABÉNS! Você acaba de criar sua primeira página com PHP!

Comandos em PHP são sempre iniciados com os caracteres <?php. No exemplo, você utilizou o comando echo para exibir as informações contidas entre aspas. Por fim, linhas de comando em PHP, assim como Perl, devem ser encerradas com um ponto e vírgula.

Você pode ainda concatenar códigos em PHP com comandos em HTML. Para isso encerre os trechos em PHP com os caracteres ?>. Observe:

<?php echo "Hello world, PHP!"; ?>

<p>Hello world, HTML!<p>

<?php echo "PHP de novo :)";

c7_s2.php | https://goo.gl/6878Lh

É uma prática comum que o último trecho de código em PHP não seja encerrado com ?>. Alguns editores de texto podem inserir caracteres especiais ao final do arquivo, o que pode causar problemas na execução (caso sejam inseridos após ?>). Ao deixar o último trecho de código sem fechar, o próprio interpretador PHP insere os caracteres ?>.

Comandos echo e print

Em PHP, o comando echo é utilizado para exibir na tela uma mensagem. A sintaxe é bem simples:

<?php echo "Alguma mensagem";

c7_s3.php | https://goo.gl/LAIoEM

Além do comando echo, o comando print também pode ser utilizado para exibir mensagens na tela. Em outras linguagens de programação, o comando print é utilizado por padrão na exibição de mensagens. Há algumas diferenças no modo como essas funções são implementadas pelo interpretador PHP. Não abordaremos essas diferenças neste livro, e trataremos os dois comandos como sinônimos.

<?php print "Alguma mensagem";

c7_s4.php | https://goo.gl/yFoAHS

Quer aprender mais? Conheça nossos cursos profissionalizantes à partir de R$19,99:

Livro Introdução à Programação para Web para Bioinformática: HTML, CSS, PHP & JavaScript

Capítulo 1
Introdução ao HTML

Capítulo 2
Fundamentos do HTML

Capítulo 3
Estrutura de páginas

Capítulo 4
Folhas de Estilo em Cascata (CSS)

Capítulo 5
Bootstrap

Capítulo 6
Iniciando a construção de um Website

Capítulo 7
Introdução ao PHP

Capítulo 8
Fundamentos do PHP

Capítulo 9
Transformando um Website em dinâmico

Capítulo 10
Introdução ao JavaScript

Capítulo 11
Fundamentos do JavaScript

Capítulo 12
jQuery

Capítulo 13
Bootstrap JavaScript

Capítulo 14
D3.js

Capítulo 15
3Dmol

Capítulo 16
Projeto Final

Epílogo
Referências Bibliográficas

Cite:

MARIANO, DIEGO; de MELO-MINARDI, R. C. . Introdução à Programação Web para Bioinformática: HTML, CSS, PHP & JavaScript. 1. ed. North Charleston, SC (EUA): CreateSpace Independent Publishing Platform, 2017. v. 3. ISBN: 978-1520895154; 403p .

Por Diego Mariano

Doutor em Bioinformática pela Universidade Federal de Minas Gerais com atuação na área de ciência de dados e aprendizado de máquina aplicados ao aperfeiçoamento de enzimas usadas na produção de biocombustíveis. Mestre em Bioinformática, também pela UFMG, atuando na área de desenvolvimento de sistemas Web para montagem de genomas. Atualmente realiza estágio pós-doutoral no Departamento de Ciência da Computação da UFMG com foco em desenvolvimento de sistemas Web para Bioinformática, análise exploratória e visualização de dados. Tem conhecimentos nas linguagens: PHP, JavaScript, Python, R, Perl, HTML, CSS e SQL.