Categorias
WordPress sem fronteiras: do básico à construção de sites completos

Colocando um site WordPress na Internet

WordPress

Para que seu site fique sempre disponível para seus clientes, ele deve possuir um endereço de acesso (domínio) e um local de armazenamento (servidor de hospedagem). Nesta seção, veremos o que é necessário para que um site WordPress seja colocado na internet.

Para que um site possa ser acessado por usuários, é necessário um servidor Web. Um servidor é um computador que fornece um determinado serviço. Neste caso, o serviço de armazenamento (ou hospedagem) e disponibilização de páginas web.

Figura 154. Como um site é armazenado na internet.

Fonte: (MARIANO; DE MELO-MINARDI, 2017).

Na prática, você poderia instalar um programa de computador que fornece tais serviços, como por exemplo o XAMPP, e fazer da sua máquina um servidor Web. De fato, isso é feito para configurar seu ambiente de desenvolvimento. Entretanto, para publicação na internet, é necessário que você obtenha um servidor profissional, que tenha alta disponibilidade (i.e., nunca é desligado), alto desempenho de processamento e acesso à rede com alta performance (para que várias pessoas possam acessá-lo ao mesmo tempo).

Como dito anteriormente, o WordPress utiliza PHP como linguagem back-end. Portanto, o servidor Web escolhido deve ter suporte para essa linguagem. Mas não se preocupe, de acordo com o artigo (“Usage Statistics and Market Share of PHP for Websites”, 2020), PHP é utilizado em quase 80% de todos os Websites do mundo. Assim, a maior parte dos servidores web oferecem suporte a PHP.

Além de possuir um servidor, seu site deve possuir um endereço para ser acessado. No padrão da internet, utiliza-se o chamado endereço de IP (Internet Protocol) para identificar a localização de uma máquina (GOURLEY et al., 2002). O IPv4, padrão de IP bastante utilizado, é composto por quatro dígitos separados por pontos, que vão de 0 a 255. O IPv6, outro padrão IP, é composto por seis códigos alfanuméricos. Entretanto, decorar um código numérico não é a forma mais fácil de acessar um web site. Por isso, convencionou-se o uso de domínios para acessar determinado site. Por exemplo, para acessar o site da Google, você poderia digitar:

https://www.google.com.br

Essa versão é bem mais simples do que digitar o código IPv6 que retorna ao site da Google:

2800:3f0:4004:806::2003:

Assim, para colocar o seu site WordPress no ar, você precisa adquirir dois serviços:

  1. Registrar um domínio
  2. Obter um servidor de hospedagem

Registro de domínio

O registro de domínios, em geral, é cobrado anualmente. Há uma série de empresas que realiza esse tipo de serviço. As taxas cobradas dependem da terminação requisitada. Na figura abaixo, ilustramos o registro de domínios com diversas terminações utilizando a plataforma “Google Domain”. Observe que um registro com terminação “.com” custa anualmente R$50.

Figura 155. Registro de domínios internacionais no Google Domains.

Fonte: https://domains.google.com/. Acesso em 23 de novembro de 2020.

No Brasil, o registro de domínios com final “.com.br” é feito pelo registro.br a um custo anual de R$40.

Figura 156. Custo do registro de domínios “.com.br” no registro.br.

Fonte: https://registro.br/ajuda/pagamento-de-dominio/. Acesso em 23 de novembro de 2020.

Entretanto, é importante ressaltar que muitas empresas que fornecem serviços de hospedagem de sites, também oferecem registro de domínio gratuito (pelo menos para o primeiro ano de uso).

Servidor de hospedagem

Um servidor de hospedagem, em geral, é um computador alocado em um data center, que fornece o serviço de armazenamento de sites. Data centers possuem toda a infraestrutura necessária para garantir que seu site fique sempre disponível (apesar de que falhas podem deixar o serviço inoperante certas vezes). Esse tipo de serviço, geralmente, é cobrado mensalmente, e os valores podem variar de acordo com as empresas e com os requisitos do seu Website (se seu site receber muitos acessos, você irá precisar de um servidor mais robusto).

A seguir, apresentaremos uma lista de empresas que fornecem serviços de hospedagem. As empresas citadas aqui foram obtidas do artigo (“Hospedagem de Site Barata – Ranking das melhores (2020)”, 2020). Os autores deste livro não possuem qualquer vínculo com essas empresas e não se responsabilizam pelos seus serviços. A tabela a seguir trata-se apenas de uma análise comparativa ilustrativa e não deve ser considerada como recomendação. Todos os valores apresentados aqui foram consultados em 23 de novembro de 2020. Provavelmente, os valores que encontrará não corresponderão aos valores apresentados na tabela. Entretanto, essa tabela fornece um ponto de partida para obter uma visão geral dos custos relacionados à hospedagem de sites.

Tabela 3. Custos de planos mensais para aquisição de servidores de hospedagem em cinco empresas distintas.

EmpresaPlanosRecursosPreço R$ (mensal)
Gratuito– 3GB de armazenamento0
Pessoal– 6GB de armazenamento – Domínio personalizado12
Premium– 13GB de armazenamento – Temas Premium26
Negócios– 200GB de armazenamento83
eCommerce– 200GB de armazenamento – Aceita pagamentos internacionais149
Single– 1 website – 10GB de armazenamento5
Starter– SSL grátis – Até 100 Websites por conta – 20GB de armazenamento9
Business– Mesmos recursos dos planos anteriores + 100 GB de armazenamento19
Pro– Mesmos recursos dos planos anteriores + Até 300 Websites63
WordPress I– 1 Website – 100 GB de armazenamento13
WordPress II– 10 Website – 500 GB de armazenamento20
WordPress III– 50 Website – 1 TB de armazenamento35
P– 1 Website – 100 GB de armazenamento9
M– Websites ilimitados – 100 GB de armazenamento13
Turbo– Websites ilimitados – 150 GB de armazenamento25
Plano mensal– 10 GB de armazenamento20

Fontes: https://br.wordpress.com/, https://www.hostinger.com.br/hospedagem-wordpress, https://www.locaweb.com.br/, https://www.hostgator.com.br/, https://uolhost.uol.com.br/. Acesso em 23 de novembro de 2020.

Algumas dessas empresas possuem sistemas simplificados para instalação de sites WordPress. Nesses sistemas, a própria empresa realiza as configurações básicas do WordPress para você. Entretanto, para aquelas que não possuem, vamos demonstrar na próxima seção como configurar bancos de dados usando cPanel e como enviar arquivos usando o protocolo FTP.

cPanel

Após adquirir um domínio e um servidor de hospedagem, você deverá realizar a configuração do seu site. Em geral, a maior parte das empresas de hospedagem utiliza a ferramenta cPanel para gerenciar o acesso e configuração dos sistemas.

Figura 157. Página inicial de um painel de hospedagem. A configuração do site é feita pelo cPanel.

Fonte: Próprio autor.

No cPanel é possível configurar quais serão as formas em que você irá enviar os dados do seu website para o servidor. Geralmente, esse acesso pode ser via SSH (Secure Socket Shell) ou via FTP (File Transfer Protocol). Para esse tipo de acesso, você precisará ter diferentes usuários e senhas.

No cPanel você também pode criar uma base de dados usando o sistema de gerenciamento de banco de dados MySQL.

Figura 158. Página de entrada do cPanel. Há uma seção dedicada a bancos de dados.

Fonte: Próprio autor.

Criando uma base de dados

É necessário que você crie uma base de dados para que o WordPress armazene seus dados. Você pode fazer isso facilmente no cPanel clicando no item “Banco de dados MySQL”. Você será redirecionado para a página de criação de banco de dados.

A seguir, você deve dar um nome a seu banco de dados.

Figura 159. Página de criação de novo banco de dados.

Fonte: próprio autor.

Abaixo desse painel, você encontrará uma seção de criação de usuários. Crie também um usuário para acessar o banco:

Figura 160. Página de criação de usuários MySQL.

Fonte: próprio autor.

Após criar o usuário, você deverá vinculá-lo ao banco de dados na seção “Adicionar usuário ao banco de dados”. Selecione o usuário e o banco criados:

Figura 161. Vinculando um usuário a um banco de dados.

Fonte: próprio autor.

Ao clicar em adicionar, você será redirecionado a outra página onde deverá informar quais privilégios concederá ao usuário. Marque a opção “todos os privilégios” e clique em fazer alterações.

Figura 162. Gerenciar privilégios de usuários no MySQL.

Fonte: próprio autor.

Pronto! Sua base de dados já está configurada. Para ser utilizada no WordPress, apenas indique o nome do banco de dados, usuário, senha e o endereço. Em geral, quando o servidor web está localizado na mesma máquina do servidor de banco de dados, utiliza-se o termo “localhost” para indicar o endereço.

Enviando os arquivos com Filezilla

Após criar o banco de dados, você deve enviar seus arquivos para o servidor. Você pode fazer isso utilizando o protocolo FTP. No cPanel, abra a seção “Contas de FTP” e crie uma conta. Algumas vezes, o cPanel já possui uma conta FTP criada com mesmo usuário e senha. Ainda nesta seção, você deverá ver uma área de mensagens informando qual o endereço (ou host) para acesso FTP, que pode ser um número IP ou um domínio (anote isso).

Agora, faça o download da última versão do WordPress em https://br.wordpress.org/. Descompacte o arquivo.

Para enviar os arquivos para o servidor, precisaremos instalar um cliente FTP. Vamos utilizar a ferramenta FileZilla (faça o download em https://filezilla-project.org/).

Agora, abra o FileZilla e clique no botão “Gerenciador de Sites” (logo abaixo do menu “Arquivo”). No painel que se abrirá, clique em “Novo site”. Digite as configurações de acesso: host (endereço do servidor FTP), usuário e senha (conforme criado no cPanel).

Figura 163. Adicionando um site ao FileZilla.

(a) Botão do Gerenciador de sites. (B) Botões de criação de novos sites. (C) Painel de configuração de novo site. Fonte: próprio autor.

Agora vamos transferir os arquivos do WordPress para o servidor remoto. A interface do FileZilla é dividida em quatro partes. Do lado esquerdo, encontra-se uma lista de pastas localizadas no seu computador. No lado direito, encontra-se as pastas do seu servidor. No seu computador, navegue até o diretório em que estão os arquivos do WordPress que você baixou. No lado direito, você deve navegar até o diretório raiz da aplicação Web (em geral, é o diretório “www”). Agora, selecione todos os arquivos correspondentes ao WordPress e arraste até a pasta correspondente do servidor.

Figura 164. Transferindo arquivos para um servidor.

(A) Diretórios do computador do usuário. (B) Diretório remoto. (C) Arquivos do diretório local. (D) Arquivos no diretório remoto. (C-D) Arraste os dados em C até D para copiá-los para o servidor. Você pode ainda transferir os dados do servidor para sua máquina, arrastando de D até C. Fonte: próprio autor.

Se você realizou a operação corretamente verá uma lista de arquivos sendo transferidos no painel inferior. Dependendo de sua conexão com a internet, a operação pode demorar alguns minutos.

Figura 165. Arquivos sendo transferidos via FTP.

Fonte: próprio autor.

Ao terminar a transferência, acesse o domínio no navegador e inicie a configuração do WordPress.

Título: WordPress sem fronteiras: do básico à construção de sites completos

Autores: Thiago Sousa, Alessandra Lima e Diego Mariano

ISBN: 978-6599275302

Publicação: 2020

Edição online gratuita

Capítulo 1
Introdução

Capítulo 2
Painel de controle

Capítulo 3
Ferramentas para criação de posts e páginas

Capítulo 4
Colocando um site WordPress na Internet

Capítulo 5
Exemplo prático

Por Diego Mariano

Doutor em Bioinformática pela Universidade Federal de Minas Gerais com atuação na área de ciência de dados e aprendizado de máquina aplicados ao aperfeiçoamento de enzimas usadas na produção de biocombustíveis. Mestre em Bioinformática, também pela UFMG, atuando na área de desenvolvimento de sistemas Web para montagem de genomas. Atualmente realiza estágio pós-doutoral no Departamento de Ciência da Computação da UFMG com foco em desenvolvimento de sistemas Web para Bioinformática, análise exploratória e visualização de dados. Tem conhecimentos nas linguagens: PHP, JavaScript, Python, R, Perl, HTML, CSS e SQL.